Home Artigos Vida Tornar o mundo um lugar melhor

Tornar o mundo um lugar melhor

voluntariado

Voluntariado por vocação

A Right Buddy é uma agência de comunicação, web design e marketing digital. Tem 3 meses de vida e é fruto da minha vontade de tornar o mundo um lugar melhor e de acreditar que juntos podemos efetivamente fazê-lo. Será também a casa ideal para quem quiser ter o voluntariado como parte integrante do seu trabalho e facilitará a todos trabalhar a partir de qualquer parte do mundo, já que o digital assim o permite. Porque acredito que somos muito mais felizes se dermos e recebermos. Porque acredito que o voluntariado não é, só, o nosso contributo ao outro, mas também, o que outro nos permite descobrir sobre nós.

O voluntariado faz parte de mim há largos anos: na universidade ajudava alunos com deficiência a realizar os seus trabalhos. Já no mundo laboral, dava aulas a crianças autistas e, um pouco mais tarde, comecei a resgatar animais em perigo de vida, a cuidar deles e a colocá-los para adoção. Há muito que quero também ir à Índia e a África e, por lá, dar aulas em regime de voluntariado. Comecei a seguir o trabalho da Stella, a fundadora da 22STARS, e vibrava com os testemunhos daquelas crianças e daquelas mulheres que ela ajuda diariamente. Haverá algo mais gratificante que ver brilhar os olhos de quem não tem nada, mas vive como se tivesse tudo?

22STARS Foundation no Uganda

Arregacei as mangas e falei com a Stella e fui seleccionada para integrar o programa de voluntariado da 22STARS Foundation no Uganda. A fundação tem a sua sede na Holanda, mas desenvolve todos os seus projetos no Uganda. Usa a educação e o empreendedorismo como ferramentas-chave para capacitar crianças e as suas famílias a superar a pobreza. Criam patrocínios de longo prazo para crianças no Uganda e já contam com mais de 200 crianças apadrinhadas. Além disso, executam várias iniciativas de desenvolvimento comunitário, incluindo um programa de nutrição, um programa de necessidades básicas, formação em pequenas empresas, acesso ao micro crédito e desenvolvem ainda um programa educacional holístico com atividades extracurriculares.

Assim, o desafio é juntar-me durante o mês de março à Stella Airoldi e aos gestores de projeto Susan Laker (do Acholi Quarter slum em Kampala) e David e Aidah Wafula (do Danida slum em Jinja) e ajudá-los a desenvolver e implementar atividades extracurriculares para as crianças e para as mulheres. Irei dar aulas de Inglês a crianças e conduzir workshops e palestras para mulheres sobre auto-estima, otimismo e empoderamento, além de muitas outras coisas. Assumirei também a conta das redes sociais da 22STARS Foundation e documentarei todo o trabalho que for fazendo no terreno.

Ajude a ajudar

Sendo a 22STARS uma instituição pequena, sem fins lucrativos e, sendo todo o dinheiro destinado à educação das crianças e aos projetos a desenvolver no Uganda, não dispõem de qualquer fundo para cobrir as despesas de voluntários. Assim, assumi que me juntaria a eles para desenvolver, voluntariamente, estes projetos. Contudo, para cobrir as despesas de alojamento, deslocação e comida e angariarmos bens necessários para estas crianças lançámos uma campanha de crowdfunding e precisamos da ajuda de todos! O voo ronda os 850€, o visto 50€ e são necessários 180€/semana para cobrir a alimentação, alojamento e transporte local. Todo o dinheiro além disso será usado para comprar almoço para as crianças durante o workshop, para que não tenham que estar nas aulas de estômago vazio. Queremos igualmente comprar-lhes canetas, livros, redes para os mosquitos, filtros de água e colchões, roupa e brinquedos.

A todas as pessoas que fizerem um donativo pede-se que nos enviem a sua morada, para que quando regresse a Portugal, possa enviar-vos um bilhete de agradecimento e uma peça de joalharia da coleção da 22STARS, um projeto social que capacita as mulheres no Uganda para superar a pobreza, ajudando-as a desenhar e conceber jóias e a vendê-las no mercado internacional. Este é um projeto 100% transparente e no final da minha viagem mostrarei todos os recibos e todos os passos onde o dinheiro dos investidores foi usado, assim como muitos sorrisos destas crianças e mulheres!

Porquê o Uganda?

20 anos de guerra civil trouxeram um grande peso na vida destas crianças e destas famílias. Embora o Uganda agora esteja em paz, a batalha contra a pobreza continua. A maioria dos pais destas crianças são analfabetos, estão traumatizados, são portadores de HIV e as mulheres engravidaram muito cedo, tendo de tomar conta de uma grande família. A grande maioria das crianças perdeu um dos pais ou, até, ambos. Acreditamos que é possível dar-lhes um futuro melhor e gostaríamos de contar consigo para nos ajudar a atingir o objetivo da campanha de crowdfunding e a fazer a diferença na vida destas crianças e mulheres do Uganda.

 

Raquel Comprido

CEO & fundadora da Right Buddy, gestora de redes sociais e de eventos, professora e ativista social e animal.

Campanha


Ver Também

Desenvolvimento Pessoal  –  O cão que persegue a própria cauda?

Quer ser uma pessoa melhor? Não se preocupe, a resposta está mesmo ao virar da esquina, ou…