Home Noticias Desafios de uma Campanha de Reflorestação

Desafios de uma Campanha de Reflorestação

Em 2017 o país ardeu… e voltou a arder. Não foi a primeira vez, mas foi a mais intensa, trágica e devastadora. O país indignou-se, ergueu-se uma onda de solidariedade para com as vítimas da tragédia, entregaram-se bens essenciais e prestaram-se cuidados imediatos aos mais diretamente atingidos pela calamidade.

Não conseguimos ficar indiferentes. Decidimos usar o grupo Mulheres à Obra, com as suas dezenas de milhares de «membras», como uma plataforma para criar uma ação de apoio às comunidades afetadas. Assumimos esta missão como uma responsabilidade cívica. Lançámos o desafio no grupo e a Andreia Gonçalves, natural da Freguesia de Queirã, uma das áreas afetadas pelo fogo, agarrou a oportunidade com toda a determinação. Metemos mãos à obra com a confiança de quem acreditava no sucesso da campanha!

O apoio de emergência já tinha sido assegurado por cidadãos prestáveis por todo o país e os especialistas nestas questões, chamados a comentar o sucedido, reforçaram incansavelmente a necessidade de planear, organizar e limpar a floresta, para que se torne um recurso essencial e não um risco fatal para as populações.

Decidimos por isso que era aí que precisávamos de atuar, na reflorestação com espécies ecologicamente sustentáveis que permitam prevenir novas tragédias. Com o apoio da Andreia, estabelecemos as necessárias parcerias com a Câmara Municipal de Vouzela e com a Junta de Freguesia de Queirã. Lançámos a campanha de angariação de fundos para a aquisição destas árvores e divulgámo-la por todos os meios ao nosso dispor: no nosso grupo e na nossa página no Facebook, no nosso Instagram, no nosso Portal, em outras comunidades on-line e off-line, junto de autoridades locais e entidades de caráter social, nomeadamente entidades dedicadas a este tipo de problemática, mas para além de muitas palavras de simpatia e encorajamento… Nada!!

Os fundos angariados foram irrisórios e para além de meia dúzia de tímidos «likes» e comentários incipientes não tivemos feed-back da nossa própria comunidade de mulheres empreendedoras. Parecia que toda a onda de indignação e de solidariedade se havia esfumado. Não somos especialistas em marketing e a falha poderá ter sido nossa. Sabemos de outras campanhas que foram melhor sucedidas, nomeadamente campanhas muito mediáticas, com apoios fortes ao nível dos meios de comunicação social.

Mas não poderá ser apenas isso. Publicamos artigos sobre maquilhagem que geram milhares de visualizações e centenas de comentários, pelo que a mensagem chega ao seu destino quando o público está interessado. Acreditamos que enfrentámos o grande inimigo da sociedade portuguesa, aquele está sempre à espreita mas do qual raramente se fala: uma sociedade civil apática e desmobilizada, reativa em vez de preventiva, imediatista em vez de consistente, fraturada em vez de organizada.

Como não somos pessoas que desistem facilmente (ou não estaríamos aqui hoje), não “largámos o osso” e fomos em busca de alternativas. Por recomendação obtida num grupo de apoio à floresta, contatámos empresas que possuem viveiros e a The Navigator Company respondeu prontamente e favoravelmente ao nosso pedido, com a oferta de 1000 árvores. A disponibilidade foi imensa, o processo foi expedito e em pouco tempo tínhamos a garantia da oferta que viabilizou toda a campanha.

As autoridades locais asseguraram o transporte das árvores e os terrenos para a sua plantação e mais uma vez nos deparámos com um desafio: reunir voluntários para a plantação. Voltámos a mobilizar os nossos recursos para divulgar a ação, contámos com o apoio das autoridades locais, e novamente ficámos de mãos a abanar… ou quase. 14 pessoas apareceram e dedicaram o seu sábado, dia 24 de março, à reflorestação. 14 pessoas plantaram 1000 árvores num dia. São estas pessoas que marcam a diferença e que nos fazem acreditar que vale a pena continuar. Aqui lhes deixamos o nosso agradecimento.

Carlos Araújo

Hugo Gonçalves

Celso Correia

Raquel Correia

Pedro Ribeiro

Andreia Gonçalves

Ernesto Macário

António Almeida

Luís Silva

Luísa Ribeiro

Margarida Jesus

Andreia Mota

Paula Ribeiro

Elvira Lopes

Terminamos fazendo nossas as palavras de Pedro Ribeiro, da Câmara Municipal de Vouzela, e da Andreia Gonçalves:

“A construir o futuro… Foram plantadas 1000 árvores em Vasconha. É mais um passo. Éramos apenas 14, mas conseguimos o objetivo. Entristece-me que a causa, tão nobre que é, não seja comum. A nossa tarefa mais difícil enquanto cidadãos será talvez mudar as mentalidades. A seguir, todos os problemas serão de fácil resolução”.

Pedro Ribeiro

“1000 árvores foram hoje plantadas nos baldios da freguesia de Queirã. Estou de coração cheio, pois apesar de sermos poucos conseguimos atingir o objetivo.  Obrigado “Mulheres à obra” Carla e Camila por acreditarem! Obrigada Navigator Company pela oferta das árvores! Mas acima de tudo quero agradecer individualmente de coração a quem esteve hoje a reflorestar, choveu, fez sol, muito vento, terreno sinuoso, mas cumprimos o nosso objetivo 1000 árvores foram plantadas!! Somos grandes!!! Obrigada!”

Andreia Gonçalves

Reflorestação

 

Ver Também

Candidato a Candidato

As Mulheres à Obra são patrocinadoras de uma conferência da Lemonade Events intitulada Can…