Home Artigos Lifestyle Os segredos de uma alimentação saudável

Os segredos de uma alimentação saudável

Alimentos inflamatórios versus alimentos anti-inflamatórios

A balança dos alimentos que consumimos hoje em dia está altamente desequilibrada para o lado dos alimentos inflamatórios. Juntamente com maus hábitos como dormir pouco, fumar, ingerir muitas bebidas alcoólicas e falta de exercício físico, estes alimentos potenciam o processo inflamatório causador de várias doenças, desde doenças cardíacas, demência, obesidade e doenças autoimunes, até ao cancro.

Então, quais são os alimentos inflamatórios que aqueles que devemos evitar?

Na minha opinião, devemos evitar as gorduras saturadas (de origem animal) e hidrogenadas (presentes em produtos de padaria e pastelaria, em alimentos congelados pré-cozinhados, em temperos prontos, nas margarinas e nas batatas fritas).

Da mesma forma, os hidratos de carbono simples como os açúcares (branco, amarelo ou mascavado) e farinhas refinadas estão associados a um aumento dos marcadores de inflamação, pelo que são igualmente de evitar, podendo ser consumidos apenas em ocasiões festivas especiais.

Quais são os alimentos anti-inflamatórios que devemos consumir?

Já no campo oposto, ou seja, dos alimentos anti-inflamatórios, devemos consumir produtos alimentares ricos em Ómega-3, tais como sementes e óleo de linhaça, sementes de cânhamo, sementes de chia, nozes e beldroegas.

A alimentação atual privilegia o consumo de alimentos ricos em Ómega-6 (pro-inflamatório) em detrimento dos ricos em Ómega-3, o que potencia o processo inflamatório. Assim, devemos ingerir com parcimónia alimentos ricos em Ómega-6, tais como Óleo e sementes de girassol, óleo de milho, óleo de soja, óleo de sésamo e carnes e ovos (de animais alimentados a ração).

A importância da água

Outro aspeto importante a ter em consideração numa alimentação saudável é o consumo de água (somos 70% água).
A água alcalina pode contribuir para reduzir a acidez e melhorar o equilíbrio ácido-alcalino.

Assim, sugiro que se consuma, sempre que possível, água alcalina com pH superior a 7. Contudo, se consumirmos água mineral engarrafada, deveremos estar atentos à rotulagem sobretudo ao teor de sódio, para além do pH.

Em resumo, a nossa alimentação diária deve privilegiar o consumo de frutas e vegetais, frutos secos, sementes, peixe capturado em alto mar e reduzir ao mínimo o consumo de carnes vermelhas, optando pelas carnes brancas e de preferência biológicas.

Fernanda Martins

Caminho para Uma Vida Saudável

Veja as receitas da Fernanda na nossa Revista Digital (gratuita):

Ver Também

5 Passos para uma mudança bem sucedida

Lidar com mudanças costuma ser muito desafiador e, se for uma mudança inesperada ou drásti…