Home Artigos Empreendedorismo Marketing Multinível versus Esquema Pirâmide

Marketing Multinível versus Esquema Pirâmide

Afinal, o que distingue o Marketing Multinível dos Esquemas em Pirâmide?


Se pensa em empreender numa empresa de Marketing Multinível, avalie bem o negócio em causa. Antes de começar, é fundamental perceber se esse negócio não é uma pirâmide financeira disfarçada de marketing multinível.  

A diferença entre Marketing Multinível  MMN (também conhecido por Marketing de Rede ou Network Marketing) e a Pirâmide Financeira é óbvia quando se analisa a relação entre os vendedores de uma mesma equipa. Enquanto no Marketing Multinível a remuneração depende do volume de vendas e dos respetivos planos de compensação, que variam de empresa para empresa, nas pirâmides financeiras os ganhos derivam exclusivamente da angariação de novos participantes para a rede. 

Ou seja, para conquistar lucro no marketing multinível é preciso empenho para ampliar a rede de vendas, para assim aumentar a quantidade de produtos comercializados e consequentemente a remuneração. No Marketing Multinível todos os envolvidos no negócio podem ganhar, independente do tempo de entrada na empresa. Para alcançar lucros altos, no entanto, é preciso ampliar a rede de vendedores, oferecer formação e oportunidades de progressão. 

Pode haver a venda de produtos nas pirâmides financeiras. Porém, nesses casos, os produtos constituem apenas um disfarce para manter o negócio em funcionamento. A comercialização só é útil para que o vendedor adira ao esquema, pois oferece uma suposta motivação legítima. 

A determinado momento, o número de pessoas necessário para que a rede continue rentável para todos os participantes passa a ser irreal. Por esse motivo, este tipo de negócio não é sustentável a médio e longo prazo. Quem adere ao sistema mais tarde não consegue encontrar novos revendedores.

Nesse ponto, podemos dizer que o sistema está saturado e entrou em colapso. Aí está o grande problema: os valores recebidos a partir dos novos recrutados não são suficientes para manter a pirâmide. Então, os pagamentos sofrem atrasos e, por fim, deixam de ocorrer e os participantes na base da pirâmide suportam o prejuízo.

As pirâmides financeiras são negócios ilegais que se sustentam na promessa de dinheiro fácil e quantias exorbitantes, enquanto quem realmente ganha são os primeiros a aderir ao negócio.  

Apesar de não existir uma lei em Portugal que regule o marketing multinível, o Instituto Português de Venda Direta (IPVD) conta com os seus rigorosos Códigos de Ética. Estes instrumentos de trabalho são a base para as relações entre empresas e empreendedores e é por meio deles que os direitos dos envolvidos nos negócios são garantidos.

IPVD tem como missão lutar pela transparência das transações realizadas entre os agentes de venda direta e os consumidores, através de três pilares determinantes que garantem um saudável desenvolvimento económico e social:

1. A formação profissional do agente

2. O código de ética do seu trabalho

3. O provedor do cliente / consumidor

No entanto, nem todas as empresas de Marketing Multinível em Portugal estão associadas ao IPVD, umas por questão de prioridades da empresa, enquanto outras estão a avançar com o processo de adesão.

Vanda Pinheiro – Coach de Bem Estar e Rejuvenescimento e Distribuidora Independente da Jeunesse Global

Contactos: https://instabio.cc/VandaPinheiro  

Ver Também

O Negócio do Século XXI

Todos nós temos um vencedor e um perdedor dentro de nós e o marketing de rede ensina-nos a…