Home Testemunhos No Sofá com a Empreendedora Rita Carvalho – Poppy Power

No Sofá com a Empreendedora Rita Carvalho – Poppy Power

Qual a tua atividade profissional?

Sou empreendedora digital, na área de produção de conteúdos e de ensino online.

Em 2018, criei a minha empresa na área de comunicação e de marketing de conteúdo, a PoppyPowerPublicRelations, mais orientada para o digital. O que inclui o desenvolvimento de artigos para blogs, gestão de redes sociais, web copywriting e criação de produtos digitais.

Mais tarde, em 2020, fundei o projeto “Academia de Conteúdos”. Uma escola de cursos online, que ajuda profissionais liberais, empreendedores, criadores e responsáveis de pequenas e médias empresas, a produzirem conteúdos para os seus canais digitais.

Quando sentiste o “chamamento” do empreendedorismo na tua vida?

Durante 18 anos, trabalhei em diversas agências de comunicação, tendo desenvolvido centenas de projetos para marcas nacionais e internacionais. O que me deu muita experiência, ao nível de estratégia e gestão de projetos.

Porém, eu sentia falta de ter mais autonomia e criatividade neste mundo corporativo. Por isso, comecei a desenvolver projetos independentes, ligados à área da comunicação e imagem.

Criei o blog “In Styleland”, em 2013, escrevi dezenas de artigos para media online, e concretizei um sonho de criança quando lancei o livro “Imagem Profissional, Guia de Estilo”, em 2016.

Mais tarde, em 2018, decidi que estava na altura de me lançar por conta própria e dedicar-me a 100% aos meus projetos.

Como começaste o teu percurso empreendedor?

Eu diria que foi em 2018, quando decidi criar a minha empresa. Mas antes disso, já tinha lançado projetos independentes e trabalhado como freelancer. No entanto, só nessa altura senti a confiança necessária para empreender por conta própria.

Acho que foi um passo natural, pois eu já desenvolvia projetos para marcas e empresas, há mais de 18 anos, e liderava equipas de trabalho. O que me deu a confiança para arriscar.

Além disso, como já trabalhava de forma remota, para a agência de comunicação espanhola, na qual era a responsável pela filial em Portugal, estava habituada a gerir processos à distância. E tinha o grande desejo de poder trabalhar e viajar, de abraçar o estilo de vida de nómada digital.

No entanto, com o surgimento da pandemia, em 2020, as viagens ficaram para segundo plano.

Como sempre investi em formação, frequentava cursos e conferências online, tanto nacionais como internacionais. O que me permitiu poder aprender à distância, com os melhores especialistas da área.

Decidi então inscrever-me no programa TYP (TeachYourPassion) para instrutores online, da Ana Cristina Rosa.

Foi nessa altura, que surgiu a ideia de fundar uma escola de cursos online: a Academia de Conteúdos. De forma a partilhar a minha paixão, conhecimento e experiência com outros profissionais. E passei a acumular a minha vertente de consultora de comunicação digital com a de instrutora online.  

Que dificuldades encontraste nesse percurso e como as contornaste?

Trabalhar por conta própria é um desafio constante. Pois não só tens de assumir todas as responsabilidades do negócio, como também tens de saber lidar com os imprevistos.

Ser empreendedora implica ter uma capacidade de resposta rápida e de adaptação à mudança. É preciso ser resiliente e não desistir à primeira dificuldade, pois faz parte do caminho. E torna-se difícil manter a motivação, o foco e a energia quando trabalhas sozinha.

Aprendi que tens de ter um plano B, quando as coisas não correm como o esperado. Que tens de ter a capacidade de transformar problemas em oportunidades. E, acima de tudo, que é preciso saberes reinventar-te.

Comparando a tua atual atividade profissional empreendedora com o trabalho que tinhas antes, que diferenças destacas?

Sinto que tenho muito mais liberdade e autonomia, que são dois valores importantes para mim. O que me permite escolher os projetos em que eu quero dedicar o meu tempo, esforço e energia.

No entanto, também acabo por trabalhar mais horas. E, sem uma equipa de apoio para delegar, o conceito de férias é ter de viajar com o computador (e todas as preocupações). A grande vantagem é poder gerir o meu tempo e o local de trabalho.

Outro aspeto, é a segurança financeira, já que um empreendedor assume mais riscos e responsabilidades. Há sempre uma grande dose de incerteza.

Que dicas gostarias de partilhar para quem quer dar os primeiros passos numa carreira empreendedora?

Que tenha um plano B, pois é importante estar preparada para ultrapassar os desafios e dificuldades que surgem no início de um projeto próprio. É sempre necessário fazer ajustes.

É natural que te sintas sozinha, perdida e frustrada em alguns momentos. Por isso, fazer parte de comunidades de empreendedores ou ter uma mentora para te orientar pode fazer toda a diferença. É importante que te sintas acompanhada e apoiada para manter a confiança e motivação.

Lembra-te de que assumir todas as vertentes de um negócio implica correr riscos, adquirir novas competências e sair da zona de conforto. Só assim vais conseguir evoluir enquanto profissional.

Ver Também

No sofá com a Empreendedora Paula Duarte – Loveshine

Qual a tua atividade profissional? Sou coach de bem-estar. Trabalho com mulheres que procu…