Home Testemunhos No sofá com a Empreendedora Filipa Cardoso – FindUp

No sofá com a Empreendedora Filipa Cardoso – FindUp

empreendedora

P. – Qual a tua atividade profissional?

Marketeer digital. Basicamente trabalho com diversas vertentes online com predominância na área de copywritting, otimização de sites para motores de busca, implementação e acompanhamento de campanhas digitais e gestão de redes sociais. Ou seja, faço de tudo um pouco.

P. – Quando sentiste o “chamamento” do empreendedorismo na tua vida?

A verdade é que nunca sonhei ser empreendedora e gerir o meu próprio negócio, mas a vida dá muitas voltas e hoje sou feliz com o que faço.

P. – Como começaste o teu percurso empreendedor?

De forma prática, tudo começou quando assinei o contrato de trabalho numa empresa de consultoria e resolvi fazer a minha primeira grande compra. Comprei um carro e queria pagá-lo o mais rápido possível.
Inscrevi-me num site de freelancer e comecei a angariar clientes. Durante quase 2 anos, mantive o trabalho na empresa onde estava, e quando chegava a casa, depois de jantar, ficava ao computador até ter tudo entregue aos clientes.
Nesta altura da minha vida, dormia cerca de 4 a 5 horas por noite e raramente tinha folgas. No entanto, houve uma altura em que trabalhar de noite não era suficiente para dar vazão ao trabalho que tinha, e aí foi quando me despedi e arranquei com a FindUp.

P. – Que dificuldades encontraste nesse percurso e como as contornaste?

No início a angariação de clientes não era propriamente simples porque quando se trabalha como freelancer através de plataformas, existem sempre dezenas de pessoas a licitar os mesmos projetos.
Mas como fui criando um portfólio alargado, consegui apresentar os resultados que os clientes queriam e isso foi fazendo com que o meu ranking nas plataformas aumentasse, levando a que outras pessoas me pedissem diretamente para licitar os seus projetos.
Além disso, acabei por ter a sorte de todas as pessoas que estão ao meu redor me apoiarem a 100%, numa altura em que não sabia se avançava ou se me deixava ficar quieta numa empresa onde tinha a vida estabilizada.

P. –Comparando a tua atual atividade profissional empreendedora com o trabalho que tinhas antes, que diferenças destacas?

Acho que não é sequer comparável, tendo aspetos positivos e negativos.
Se antigamente tinha um horário de trabalho das 9/18h, hoje em dia não tenho horários de trabalho fixos, o dia só termina quando todas as tarefas estiverem concluídas (sejam 16h ou 02h) e muitos fins de semana são passados a trabalhar ou a organizar trabalho. A nível de responsabilidade é imensa, porque gerir tudo sozinha não é simples, mas com dedicação tudo se consegue.
Mas, hoje em dia tenho a liberdade de trabalhar onde quiser (seja num escritório, em casa ou numa esplanada), tenho uma flexibilidade que é incomparável, e tenho o mais importante que é um apoio constante de quem me rodeia para fazer sempre mais e melhor.
Contudo, a maior diferença é que sou feliz e amo realmente o que faço e o meu trabalho permite-me aprender algo novo todos os dias e criar novos objetivos.

P. – Que dicas gostarias de partilhar para quem quer dar os primeiros passos numa carreira empreendedora?

1º – Trabalhar por conta própria não é o mar de rosas que muitas vezes se lê ou se ouve por aí. É preciso trabalhar muito (muito muito mesmo), é preciso muitas vezes abdicar de estar com a família, amigos, maridos, namorados… é preciso ter a certeza que se ama aquilo que se faz;
2 – Antes de se lançarem a 100%, tenham a certeza que conseguem viver apenas com aquilo que ganham com o vosso negócio;
3 – Lembrem-se que angariar clientes custa 5 a 10 vezes mais do que manter os atuais clientes satisfeitos;
4 – É importante que ao delinearem um negócio definam objetivos que sejam realistas, mensuráveis e escaláveis no tempo, pois abrir um negócio é relativamente simples, mas mantê-lo a funcionar já não é tão simples assim.
Querem ter um negócio vosso? Força… Mas pensem primeiro se estão preparadas para lidar com tudo aquilo que vem pela frente. Não é fácil, e vai haver muitos momentos em que vão pensar em desistir! Nesses momentos, amar o que se faz é o que fará a diferença entre levantar a cabeça e seguir em frente ou baixar os braços!


Ver Também

No sofá com a Empreendedora Fátima Neves

P. Qual a tua atividade profissional? Sou psicóloga de formação académica, formadora certi…