Home Testemunhos No sofá com a empreendedora Irene Cristovão

No sofá com a empreendedora Irene Cristovão

Qual a tua atividade profissional?

Sou maquilhadora profissional e terapeuta corporal. Trabalho ajudando as pessoas a realçar a sua beleza interior e exterior, através da maquilhagem e do cuidado com o rosto e corpo.

Quando sentiste o “chamamento” do empreendedorismo na tua vida?

O “chamamento” do empreendedorismo surgiu para mim num momento de transição de carreira. Trabalhava anteriormente no setor financeiro, mas quando a empresa em que trabalhava fez um programa de demissão coletiva, percebi que era a oportunidade perfeita para seguir minha verdadeira paixão: o mundo da beleza.

Foi então que decidi reinventar-me e explorar novos caminhos como empreendedora. Inicialmente, comecei a minha jornada com a Mary Kay e decidi fazer alguns cursos para aprimorar minhas habilidades como maquilhadora e terapeuta corporal. Essa transição foi um momento crucial na minha vida, pois permitiu-me seguir o meu propósito de criar o meu próprio negócio.

Durante as sessões de beleza da Mary Kay, percebi uma necessidade latente entre as mulheres: muitas delas não se sentiam seguras ao maquilhar-se e gostavam do resultado final das sessões. Foi aí que compreendi o quanto poderia contribuir para elevar a autoestima e a confiança delas por meio da maquilhagem. Esta descoberta foi fundamental para direcionar o meu trabalho como maquilhadora e terapeuta corporal, com o intuito de proporcionar não apenas uma transformação externa, mas também um impacto positivo na autoimagem e autoestima das mulheres.

Como começaste o teu percurso empreendedor?

Após dedicar 19 anos da minha vida a uma empresa multinacional, enfrentei um momento de transição profissional que me levou a buscar novos horizontes. Consciente das dificuldades de encontrar oportunidades de emprego compatíveis com a minha idade, decidi aventurar-me na área imobiliária, onde tive algumas experiências, porém, não me senti plenamente realizada. Mais tarde, tornei-me Agente Bimby, o que me proporcionou aprendizagens valiosas, mas ainda assim, algo dentro de mim ansiava por algo mais.

Foi nesse contexto que a Mary Kay surgiu na minha vida como uma verdadeira revelação. Inicialmente, os cuidados com a pele cativaram-me, levando-me a explorar o mundo encantador da maquilhagem. Decidi então investir na minha formação profissional como maquilhadora, realizando cursos especializados na área.

Posso afirmar com convicção que encontrei na beleza a minha verdadeira vocação. Além de aprimorar a estética das mulheres, a  minha missão vai mais além, é inspirá-las, empoderá-las e ajudá-las a transformar as suas vidas. Acredito que cada mulher merece sentir-se especial, valorizada e confiante. É uma jornada gratificante, onde cada traço delineado, cada cor aplicada, representa não apenas uma mudança de visual, mas um passo rumo à autoestima elevada e ao empoderamento feminino.

Ao lançar-me na Mary Kay, percebi que nas sessões de beleza existia uma grande oportunidade. Embora tenha surgido uma dúvida: será que ainda posso aprender algo novo aos 46 anos? Decidi arriscar e fiz um curso online, seguido por um curso presencial. A minha mentora encorajou-me, dizendo que eu poderia fazer o que quisesse, quando quisesse, e que nunca é tarde para começar algo novo. Essa mensagem ressoou em mim. Lembrei-me das mulheres que deixaram de se cuidar para cuidar dos outros e abriram mão de um tempo para si mesmas. Foi então que percebi a oportunidade de apoiar essas mulheres que desejam voltar a olhar-se no espelho e que desejam recomeçar. Assim, mais do que vender produtos e sessões de beleza, comecei a oferecer um caminho para a autoestima feminina por meio de sessões de skin care, maquilhagem e workshops.

Que dificuldades encontraste neste percurso e como as contornaste?

As dificuldades são desafios que encontramos ao longo do caminho, mas também oportunidades de aprendizagem e crescimento. Uma das maiores dificuldades que enfrentei nesse percurso foi a questão da idade. Na época, eu tinha 47 anos e questionei-me se as pessoas estariam interessadas nos meus serviços. Não tinha a juventude como aliada nem a experiência de alguém que sempre atuou na área da maquilhagem.

No entanto, transformei essa dificuldade numa oportunidade. Refleti sobre como poderia utilizar a minha experiência e conhecimento para ajudar mulheres que partilhavam o meu interesse pela maquilhagem, mas que talvez não tivessem tempo, habilidade ou acesso aos recursos necessários. Especialmente focada em mulheres com mais de 40 anos, decidi direcionar os meus esforços para oferecer suporte e orientação nesse sentido.

Foi então que encontrei na Mary Kay um grande apoio para contornar essa dificuldade. O fato de estar vinculada a uma marca de cosméticos com um forte foco no empoderamento feminino e no bem-estar da mulher foi fundamental para superar esse obstáculo.

Comparando a tua atual atividade profissional empreendedora com o trabalho que tinhas antes, que diferenças destacas?

Comparando a minha atividade profissional empreendedora atual com o trabalho que tinha antes, as diferenças são notáveis e impactantes. A Irene que existia em 2015 não tem nada a ver com a Irene de agora. Antes, eu estava presa num trabalho tradicional, sem espaço para expressar a minha criatividade e paixão. Era tímida, insegura e constantemente sentia uma sensação de falta de realização profissional. No entanto, desde que dei o salto para o empreendedorismo, a minha vida mudou completamente. Agora faço o que amo e sinto-me realizada, o que me trouxe uma confiança e satisfação que antes não tinha. Embora ter o meu próprio negócio traga mais responsabilidades, a liberdade e a gratificação de trabalhar para mim mesma faz toda a diferença.

Que dicas gostarias de partilhar para quem quer dar os primeiros passos numa carreira empreendedora?

Para quem está a  pensar em iniciar uma jornada empreendedora, minha principal dica é: não tenham medo de arriscar. Se nunca arriscarem, nunca saberão se dará certo ou não. Tenham coragem de seguir os vossos instintos e seguir os vossos sonhos, mesmo que pareçam desafiadores. Se têm mente empreendedora e um projeto em mente, avancem. Peçam ajuda e procurem orientação de amigos ou mentores empreendedores, pois são aqueles que podem oferecer conselhos valiosos com base nas suas próprias experiências. Lembrem-se sempre de que o caminho para o sucesso pode ser desafiador, mas com determinação, paixão e trabalho árduo, é possível alcançar os seus objetivos.

Ver Também

No sofá com a Empreendedora Amélia Pereira Coutinho

Qual a tua atividade profissional? Sou economista e trabalho na Indústria Farmacêutica há …